Por Samuel Strazzer Em RMVale Atualizada em 13 MAI 2021 - 21H25

Escritor joseense Pedro Hos lança o livro “Kim, o Corpo Seco”

A história resgata a figura folclórica no contexto de uma comunidade periférica

Samuel Strazzer / Meon
Samuel Strazzer / Meon


O escritor joseense Pedro Hos lançou, nesta terça-feira (11), o livro “Kim, o Corpo Seco”. É o primeiro livro de ficção publicado pelo autor.

Pedro Hos é formado em Banco de Dados e trabalha com tecnologia da informação. Além de escrever, o autor também é engajado em causas sociais relacionadas as comunidades periféricas, o que é pano de fundo de seu livro.

“O livro é sobre uma criança normal de comunidade que enfrenta os problemas dela como qualquer criança de comunidade tem. A mãe tem que trabalhar fora e passa dias fora, o pai tem a doença do alcoolismo. E ele se vê diante de um Corpo Seco”, diz Pedro.

O menino, protagonista da história, é acompanhado por esse ser folclórico nas desventuras do seu dia a dia. Contudo, ao contrario do que está no imaginário popular, o Corpo Seco de Pedro Hos não é mau. Nesta história, o ser mitológico teve um passado doloroso e isso faz com que ele e o protagonista se conectem.

“Esse Corpo Seco vai desmentir a história do folclore. A gente tem a ideia de que o Corpo Seco é um ser tão mal que nem a terra e nem o céu queriam ele. Na minha versão, esse ser sofreu pra ter tomado as atitudes que ele tomou”, conta o autor.

Pedro contou que teve a ideia da história inspirado em alguns livros onde uma pessoa interage com um objeto inanimado, como em “Meu pé de Laranja Lima”. O filme “Sete Minutos Depois da Meia-Noite” também influenciou a obra, em ambos, um ser sobrenatural ajuda uma criança a enfrentar momentos difíceis em sua vida pessoal. Contudo, a maior inspiração veio de uma história contada a Pedro pela sua família.

“Tem uma história da minha família de um primo do meu pai que morava na roça e pediram para ele ir na mata buscar lenha. No momento que estava na floresta, ele viu uma lenha muito boa. Na hora que ele colocou a mão, a lenha gritou com ele ‘Não cabra!’, era o Corpo Seco. E desde aquele dia o Corpo Seco ajudou ele a pegar lenha”, conta o escritor.

O Corpo Seco que seu parente havia encontrado se chamava Joaquim e foi inspiração direta para o do livro que se chama “Kim”.

Para Pedro Hos, a leitura e a escrita são refúgio e a publicação de “Kim, o Corpo Seco” é uma grande realização pessoal.

Questionado sobre o que os leitores irão encontrar no livro, o escritor destaca “O leitor vai encontrar muito da realidade de hoje. Vai transitar entre a alegria e tristeza dentro do livro. Quis mostrar que muita coisa ainda não mudou de 300/400 anos atrás pra hoje. Ainda há problemas sociais como a intolerância e o preconceito”.

Interessados em ler “Kim, o Corpo Seco” de Pedro Hos podem comprar o livro no site da editora Kotter.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Samuel Strazzer, em RMVale

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.