RMVale

Ex-vereador de Caraguá é condenado a 10 anos de prisão por associação criminosa

Ele havia sido preso durante operação em agosto de 2020

Escrito por Julia Lopes

23 JUN 2021 - 16H57 (Atualizada em 23 JUN 2021 - 17H34)

Divulgação/Câmera de Caraguatatuba Flávio Nishiyama (Divulgação/Câmera de Caraguatatuba)

O ex-vereador de Caraguatatuba Flavio Nishiyama foi condenado a 10 anos de prisão pela Justiça por associação criminosa e associação ao tráfico. Em agosto de 2020, o ex-vereador foi preso durante a Operação Código de Ética, realizada em conjunto com a Polícia Federal, a Polícia Civil e a PM.

Segundo o MP (Ministério Público), a denúncia foi oferecida pelo promotor Renato Queiroz após deflagração da operação.

Segundo a denúncia, na época em que foi acusado, “Gravata”, como Flavio era conhecido, atuava como advogado e teria usado  seus conhecimentos jurídicos para aconselhar criminosos a gerar, de forma fraudulenta, a locação dos imóveis destinados ao armazenamento de entorpecentes. Além disso, o ex-vereador teria usado seu direito profissional para entrar em delegacias e estabelecimentos prisionais a fim de garantir os interesses da organização criminosa. Mesmo estando impossibilitado de advogar, Flavio, teria atuado na defesa criminosos a mando de uma facção criminosa. 

A denúncia aponta ainda que o ex-vereador tinha a função de evitar que os integrantes do esquema de tráfico fossem delatados pelas pessoas que eram presas em flagrante, servindo como “garoto de recado” da facção criminosa. Ele receberia uma quantia mensal fixa para realizar tal atividade.

Informações retiradas dos aparelhos celulares apreendidos mostrariam que, além de confirmarem a forte atuação do ex-vereador na organização criminosa, ele se prontificava a elaborar contratos de imóveis para a facção. 

Com isso, o processo afirmou que as drogas eram enviadas para o Litoral Norte por meio de “mulas”, até a cidade de Ubatuba para serem guardadas em “casas-bombas”. Após isso, essa droga era separada em menor quantidade e outras “mulas” se encarregam de repassar o entorpecente para as “lojas” ou “biqueiras”, que eram os pontos de venda de drogas.

O ex-vereador, preso durante a operação, foi condenada a 10 anos de reclusão inicialmente em regime fechado. O Tribunal de Justiça de São Paulo já havia negado a concessão de habeas corpus e prisão domiciliar ao ex-vereador.

A Operação Código de Ética foi deflagrada em agosto de 2020 contra o tráfico de drogas e cumpriu mandados em Caraguatatuba, São Sebastião, Ubatuba, Taubaté e Campinas.

O que diz a defesa de Flávio.

A advogada de Flavio Nishiyama, Adelaide Albergaria, informou ao Portal Meon que: “O Dr. Flávio é inocente e foi condenado injustamente. Nós iremos recorrer da sentença condenatória e iremos provar a inocência dele em sede de recurso de apelação a ser endereçado ao Tribunal de Justiça de São Paulo”.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Julia Lopes, em RMVale

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.