Na última sexta-feira (23) um grupo de crianças da Fundhas (Fundação Hélio Augusto de Souza) Dom Bosco, no Campo dos Alemães, teve uma aula diferente no Museu do Folclore de São José dos Campos.

A animação e curiosidade dos alunos tomou conta dos espaços do Museu durante a tarde e, a cada descoberta, surgia um novo aprendizado.

 “Gostei muito da sala colorida, que fala das festas. O folclore é importante porque faz parte da nossa história”, disse Livia Maria de Deus Pereira dos Santos, 10 anos.

A visita complementa as aulas e oficinas trabalhadas na unidade, que tiveram como tema o folclore nacional, comemorado no dia 22 de agosto.

“Durante o mês trabalhamos sobre o folclore e viemos para o museu concluir este projeto. Aqui é uma extensão da sala de aula, para eles conhecerem coisas novas e fazerem descobertas”, afirma a professora Lary Fróes de Brito Almeida, que acompanhou a turma.

Com um total de mais de 6 mil agendamentos realizados até a última sexta-feira (23), o Museu do Folclore de São José dos Campos inicia nesta terça-feira (27), no Centro de Formação do Educador (CEFE), em Santana, uma programação cultural para celebrar o mês do folclore.  

 As atividades se estenderão até o dia 20 de setembro, com o tema ‘Brincar é Preciso’.  

 Participarão da programação alunos de escolas públicas e privadas de São José e Paraibuna (educação infantil e ensino fundamental), da Fundhas e do Projeto Guri, além de portadores de deficiência atendidos pelo Centro de Referência da Pessoas com Deficiência (Integra) de São José.

 Serão 19 dias de atividades, com brincadeiras e jogos populares, como corrida de saco, morto vivo, amarelinha, estátua, corre cotia, passa anel, telefone sem fio, dança das cadeiras e adivinhações.

Durante toda a programação, as atividades serão conduzidas por oito monitores do Museu do Folclore e acompanhadas pelos professores das instituições participantes.

Uma das monitoras é a estagiária do museu Jessica Laila Alves Santos, de 25 anos.

"Descobri trabalhando no museu o quanto gosto de lidar com crianças, um amor que nem sabia que tinha. Para mim o museu agrega um conhecimento ímpar. Me encanta ver o quanto visita amplia a visão das pessoas sobre o folclore", contou.    

 Os alunos também passarão por uma exposição com mais de 200 figuras, criadas em papel e goma (técnica de empapelamento) pela artista popular Eunice Coppi. As figuras formarão 55 cenas de brincadeiras, numa releitura do quadro ‘Jogos Infantis’, de 1560, do artista holandês Pieter Bruegel.

 Agendamentos e mais informações pelo telefone: 12 3924-7354