Um projeto financiado pelo Fundo das Nações Unidas para a Democracia (Undef) vai monitorar obras públicas em Sâo José dos Campos e Taubaté.

O trabalho, apresentado oficialmente na última semana, será desenvolvido pela ONG Transparência Brasil em parceria com o Observatório Social.

O objetivo, segundo os organizadores, é pressionar o poder público a retomar obras inacabadas e prevenir novos atrasos e paralisações em 21 cidades brasileiras, incluindo São José e Taubaté. 

Três creches e pré-escolas com obras em andamento em São José, nos bairros Putim, Jardim Helena e Santa Edwiges, serão monitoradas. Juntas essas obras somam R$ 18 milhões aos cofres públicos.

Em Taubaté, serão fiscalizadas as creches municipais Jardim Oasis, Hípica Pinheiro, Portal da Mantiqueira e Fazendinha, que consomem mais de R$ 8 milhões de verbas do governo federal.

Participação

De acordo com Paulo Nogueira Sampaio, presidente do Observatório Social em São José, a partir destas obras, outras serão agregadas a partir de sugestões e denúncias da população.  

“Esse trabalho deverá aumentar a cultura de controle social, despertando o sentido de responsabilidade de cada cidadão pelo bem público”, disse.

De forma dinâmica e rápida, qualquer pessoa poderá enviar, através de um aplicativo chamado “Tá de pé”, imagens e reclamações de obras atrasadas ou paralisadas.

O material será analisado por engenheiros voluntários e, sempre que constatados indícios de atraso, serão encaminhados alertas aos gestores públicos responsáveis.

Sampaio explica que as denúncias podem ser feitas pelo aplicativo e também na sede do Observatório Social em São José, na avenida Anchieta, 551. Em Taubaté, a sede fica na rua Venezuela, 321, Jardim das Nações.

Para baixar o aplicativo, basta clicar neste link.