Por Conteúdo Estadão Em Brasil & Mundo

Spoon reencontra equilíbrio musical e escancara maturidade

Quatro anos e projetos solo depois, o Spoon voltou como ninguém poderia imaginar. A banda que marcou seu espaço no cenário indie durante a década passada, e até chegou a frequentar o pop com canções nas trilhas do filme Mais Estanho que Ficção e na popular série The O.C., amadureceu com a distância. They Want My Soul, oitavo álbum de Britt Daniel e companhia, celebra a nova fase e é parte central da mais passagem da banda pelo Brasil.

O Spoon volta ao País após sete anos, desde a apresentação no festival Planeta Terra, em 2008, com performances no Rio de Janeiro (dia 15, quinta-feira, no Sacadura 154) e duas em São Paulo - além de ser uma das atrações do segundo e último dia de Popload Festival, no sábado, dia 17, ao lado do Belle & Sebastian, o grupo faz um show "solo" no Beco 203, domingo, 18.

"Estamos muito felizes de voltar desta forma", contou Jim Eno, baterista do grupo e único integrante fundador do Spoon a permanecer ao lado do vocalista Britt Daniel. "Estávamos compondo, gravando e entrando em turnê em sequência desde 1994. Não havia pausa. Tentávamos lançar um novo disco o mais rápido possível e, então, sair pela estrada para divulgá-lo. Estávamos bem cansados."

Durante os quatro anos entre Transference e o recente They Want My Soul, lançado em 2014, os integrantes do grupo seguiram por projetos distantes do Spoon. Ao reunir a banda, Britt se mostrou inspirado. "Essas são as melhores músicas que ele já escreveu", avalia Eno.

Um novo álbum, aliás, já está sendo preparado. É o Spoon de volta ao ritmo alucinante. "Não espero que a gente fique mais quatro anos sem um disco", brinca. "Se acontecer, algo deu muito errado."
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...