Vacina febre amarela.jpg

População pode ficar sem vacinas até o início da campanha, em 29 de janeiro

Reprodução

A Vigilância Epidemiológica de São José dos Campos confirma que as doses de vacina contra a Febre Amarela acabaram nesta terça-feira (16) e não há uma previsão da chegada de novo lote até o início da Campanha de Vacinação, que foi antecipado para o próximo dia 29 de janeiro.  O anúncio foi feito no mesmo dia em que a OMS (Organização Mundial da Saúde) incluiu a RMVale nas áreas de risco de infecção da doença.

“A previsão é que as vacinas só venham agora para a campanha. Nós aplicamos mais de 7 mil doses nos últimos dez dias, enquanto nos anos anteriores eram 400 doses por mês. Utilizamos as doses acumuladas, fomos pedindo mais e foram chegando, mas usamos todas, até algumas separadas para a campanha. Até pedimos um novo reforço, mas gora não virá mais”, declara a médica pediatra e coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Teresa Cardoso.

Segundo a Secretaria de Saúde, somente nesta terça 925 pessoas foram imunizadas e a previsão era que os postos de saúde da Vila Paiva e do Jardim Telesperak realizassem a vacinação nessa quarta-feira (17), mas foram cancelados pela falta do medicamento. A orientação é que a população evite de viajar para áreas de risco e regiões de mata, e aguarde o início da vacinação da dose fracionada.

O risco é maior para as pessoas moram próximo da mata. Não é motivo de pânico. Se for ficar na cidade não há risco"

Teresa Cardoso Coordenadora da Vigilância Epidemiológica de São José dos Campos

“Para nós é interessante que a campanha venha antecipada. Hoje não temos mais doses de vacina, pois a procura foi muito grande. Quem ainda não se vacinou deve aguarda a campanha, mas deve se prevenir, evitando ir para áreas de risco. Se for, evitar entrar na mata, mas se entrar, utilizar muito repelente”, orienta a médica.

Mas a coordenadora destaca que para os moradores de São José, e vale para toda o Vale do Paraíba e Litoral Norte, que não há casos de Febre Amarela na região e não é necessário entrar em desespero.

“O Estado garante que até o fim do ano toda a população será vacinada. O risco é maior para as pessoas que vão ou moram próximo da mata, que devem ser priorizadas na vacinação. Não é motivo de pânico. Se a pessoa for ficar na cidade não há risco, é muito importante que todos se acalmem”, explica a doutora que ainda não possui uma certeza de como será o plano de vacinação durante a campanha.

“A gente não sabe quantas doses vamos receber, mas vamos ter seguir as orientações do Estado e ainda pode ter muita mudança. Provavelmente, deve começar na zona rural, onde tem maior perigo de ser infectado pelo vírus, como na região norte, em São Francisco Xavier, Buquirinha e outros bairros próximos de mata”, informa Cardoso.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) emitiu um informativo na manhã desta terça-feira (16) incluindo o Estado de São Paulo e consequentemente a Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte na área de risco da Febre Amarela. Mesmo reforçando que a região não possui casos, a Vigilância Epidemiológica declara que os turistas devem vir vacinados.

“Eles tem que ser vacinados 10 dias antes, o tempo que leva para a ativação da vacina”, diz a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de São José dos Campos, Teresa Cardoso.

Leia Também

Taubaté

Na segunda cidade mais populosa da região, as vacinas acabaram por volta das 10h30 desta terça-feira (16). Foram mais 400 doses que chegaram no início da manhã e já foram aplicadas em menos de duas horas.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Taubaté, foi feito um pedido para recebimento de novas doses, que deve ser respondido somente na manhã de quarta-feira (17). A orientação é que a população deve aguardar a resposta do Estado se devem ser envidas mais vacinas ainda esta semana.