RMVale

Câmara de Cachoeira Paulista aprova CPI para investigar vereadores que intimidaram médico

Felipe Piscina e Max Barros apareceram em vídeo cobrando profissional que estaria em seu horário de descanso

Escrito por Gabriel Campoy

31 MAR 2021 - 16H53 (Atualizada em 31 MAR 2021 - 18H27)

Reprodução/Internet vereadores em cachoeira pta (Reprodução/Internet)

Foi aberto na Câmara Municipal de Cachoeira Paulista, um processo de cassação aos vereadores Felipe Piscina (DEM) e Max Barros (DEM), que apareceram em um vídeo na semana passada intimidando um médico enquanto o mesmo descansava. A CPI foi aprovada em sessão nesta terça-feira (30), após pedidos de uma moradora.

No plenário, o pedido acabou votado e aprovado por unanimidade, incluindo os próprios vereadores envolvidos na confusão. Além da CPI, também foi aprovado nesta terça-feira uma apuração da comissão de ética a pedido da presidência para avaliar se houve quebra de decoro parlamentar.


O caso

Felipe Piscina e Max Barros acabaram viralizando nas redes sociais após invadirem a sala de descanso de um dos médicos plantonistas da Santa Casa de Cachoeira Paulista e passarem a discutir com o mesmo.

Segundo o vereador Felipe Piscina, ele teria recebido mensagens da população no local que, segundo ele, aguardavam há mais de duas horas sem resposta. Após a repercussão do ocorrido, o vereador chegou a se desculpar com as pessoas e com o próprio médico em um vídeo divulgado em suas redes sociais, dizendo não saber que o profissional estaria há tanto tempo sem descansar.

Após a confusão, o hospital emitiu uma nota e informou que também tomará "medidas judiciais cabíveis" em relação ao ocorrido.

Posicionamento do partido

Em nota, o presidente estadual do Democratas, o deputado federal Alexandre Leite, em nome do partido, comunicou que os vereadores da cidade, Felipe Piscina e Max Barros, envolvidos no incidente, foram suspensos e afastados de suas respectivas funções após o episódio. O comunicado informou que ambos permanecerão no partido, mas sem exercer representação até a conclusão das investigações, e que as consequências podem acarretar até em expulsão. Confira a nota na íntegra.

“O Democratas-SP não compactua com a atitude dos vereadores. Durante o período de trinta dias, que podem ser prorrogados por mais trinta, enquanto os fatos sejam devidamente esclarecidos, os vereadores deixarão de representar o partido perante à Câmara Municipal de Cachoeira Paulista e destituímos Max Barros da presidência do diretório municipal. Nos solidarizamos com toda a equipe médica da Santa Casa.”

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Gabriel Campoy, em RMVale

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.