Por Vinicius Assis Em RMVale Atualizada em 16 NOV 2020 - 09H55

Maritaca fica presa em linha de pipa no telhado e precisa ser socorrida pelos bombeiros em S. Sebastião

Uma cena que chamou a atenção dos socorristas foram outras duas aves que não saíram de perto da maritaca presa

Divulgação/Corpo de Bombeiros
Divulgação/Corpo de Bombeiros
A ave não ficou ferido


Uma maritaca precisou ser resgatada pelo Corpo de Bombeiros na manhã deste domingo (15) em São Sebastião. A ave se enroscou em uma linha de pipa e ficou presa no telhado da casa. O que chamou a atenção dos profissionais que estavam no resgate, foram dois pássaros que estavam por lá e não saíram de perto da maritaca até o fim dos trabalhos.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o resgate foi acionado por volta das 11h, na Rua Domingos Tavolaro, na Vila Amélia. 

O morador da casa acionou os bombeiros após perceber que uma maritaca havia se enroscado em uma linha de pipa. Ele teria afirmado para a corporação que só percebeu que a ave estava em perigo após ouvir sons de outras duas maritacas, que não estavam presas, mas também estavam no telhado.

A ave se debateu e acabou ficando ainda mais enrolada.

Os bombeiros conseguiram retirar a ave do telhado e, já no chão, cortaram a linha de pipa. As outras duas maritacas ficaram no local durante todo o processo de resgate, que durou cerca de 30 minutos. Os bombeiros viram que a ave não tinha nenhum ferimento e a devolveu para a natureza.

As três maritacas voltaram a voar juntas depois do resgate. Em nota, os bombeiros afirmaram que se sensibilizaram com o ato de companheirismo entre as aves. “O ato das duas Maritacas de permanecerem juntas no local representa muito bem a frase ‘ninguém será deixado pra trás’, abarcada por cada bombeiro e policial militar, no qual nenhum companheiro e cidadão será deixado para trás”, afirma um trecho da nota.

Ainda assim o caso acende um alerta para o perigo de empinar pipas com cerol ou com as chamadas linhas chilenas – que são mais grossas que o habitual. Esses materiais podem causar problemas tanto para os animais domésticos e silvestres, quanto para as pessoas. O material pode causar a morte, por ter o mesmo efeito de uma lâmina.

De acordo com o Código Penal brasileiro “fabricar, produzir, armazenar, vender ou fornecer cerol, linha chilena ou qualquer outro material cortante para uso em linha de pipa” são considerados crime. Os atos têm pena de prisão de um a três meses e multa.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Vinicius Assis, em RMVale

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.